Senhora, partem tão tristes



15 - 6 - 2006




          Senhora, partem tão tristes
          meus olhos por vós, meu bem,
          que nunca tão tristes vistes
          outros nenhuns por ninguém.


          Tão tristes, tão saudosos,
          tão doentes da partida,
          tão cansados, tão chorosos,
          da morte mais desejosos
          cem mil vezes que da vida.
          Partem tão tristes, os tristes,
          tão fora de esperar bem
          que nunca tão tristes vistes
          outros nenhuns por ninguém.



          João Roiz de Castelo-Branco, Cancioneiro Geral



Aqui esteve a voz de Adriano Correia de Oliveira,
à guitarra António Portugal
à viola Jorge Moutinho



22 Comments:

Blogger wind said...

Post de artista com uma sensibilidade única!
Nada falha, tudo perfeito:poema, foto, voz de Adriano.
Faço a minha vénia:)
beijos*****

1:50 da manhã  
Blogger carlos peres feio said...

a foto é um belo exemplo de beleza pelo contraste - espessura na muralha e leveza nas folhas - os versos cantados, de tão agradaveis, serão minha música de embalar! bj cf

2:51 da manhã  
Anonymous M said...

Fica-se um pouco triste, mas a Beleza às vezes é assim.
Beijo.

10:47 da manhã  
Blogger Betty Branco Martins said...

Querida Tecum

"Tão tristes, tão saudosos,
tão doentes da partida",

Isto é lindíssimo - eu amo Adriano.

Parabéns pelo post.

Beijinhos

Bom F.semana

4:09 da tarde  
Blogger greentea said...

TECUM

SEI ESTE POEMA DE COR DESDE OS MEUS 16 ANOS, QD ESTUDEI LITERATURA;
ESTE E aQUELA TRISTE E LEDA MADRUGADA ...

FICARAM-ME NA CABEÇA, TALVEZ COMO PREVERT, TALVEZ...

OLHA DE CHUVA MANSINHA NÃO VEJO NADA QUE ATRAVESSEI HÁ POUCO A 25 DE aBRIL E FIZ O ic 19 SEM VER NADA, A 10KM À HORA.
MAS PARECE QUE LÁ MAIS PARA CIMA O TEMPO ESTÁ DOCE, PASSADO O GRANIZO QUE ESTRQGOU AS UVAS, AS MAÇAS, ATÉ AS ABÓBORAS FICARAM MARCADAS -
NÃO SEI COMO ESTARA O JARDIM QUANDO LÁ CHEGAR.
Quem tem exames de 12ª em casa não sai de Lisboa tão depressa...

Beijinhos e boa estadia, dentro dos condicionantes.

5:48 da tarde  
Blogger greentea said...

E Adriano !

acho que nunca tinha ouvido Adriano a cantar João Ruiz, mas achei lindissimo.

5:53 da tarde  
Blogger pintoribeiro said...

cheguei aqui pela Wind e gostei mesmo muito. boa tarde.

7:25 da tarde  
Anonymous Quico said...

"Partem tão tristes, tão tristes, que iguais, nenhuns outros vistes"!
Seria assim que o Ventor diria, mas digo eu, por ele. Gosto muito de te ver aparecer e espreitares pela minha janela, com olhos que não sejam tristes. Vou contar a história do nosso amigo branquinho, logo que o Ventor confirme que ele está bem. Bjs.

9:41 da tarde  
Blogger TsiWari said...

e logo, logo, soa na minha cabeça o clássico do Adriano - "menina dos olhos tristes, o que tanto a faz chorar..." - agora também na voz do Zeca Medeiros.

-----------------------------------

parabéns. é lindo o post.

11:59 da manhã  
Blogger Mendes Ferreira said...

amei....


beijo.




(melhor?)

12:55 da tarde  
Blogger Licínia Quitério said...

Um dos mais belos poemas de amor que se escreveram em língua portuguesa. E como Adriano o cantou! Uma relíquia este Post.
Beijo.
Licínia

10:18 da manhã  
Blogger herético said...

"meu bem!", que expressão mais bela poderia o poeta inventar para nomear sua amada?!...

concordo com a Lícínia, um dos mais belos poemas de amor da literatura portuguesa.

8:09 da tarde  
Anonymous Giulia said...

Belo, melancólico e triste, qualidades inerentes a um poema de grandes sentimentos... Amiga Eli, agradeço sua visita e os lindos versos de Florbela que lá deixou. Beijos

12:41 da tarde  
Anonymous Alex said...

Lindo, triste, desejoso. Do jeito que a terça cheira. Beijos. Saudosos.

3:19 da tarde  
Blogger Boo said...

Que poema tão triste e tao bonito simultaneamente... e eu sinto-me tão feliz, que nem sei o que dizer... =\

Tenho novidades, contarei assim que tiver um bocadinho. Agora estou em fase de testes... bahhh

muitos beijinhos =)

7:55 da tarde  
Anonymous Anne Marie said...

Querida amiga, conheci este poema quando jovem e me apaixonei por ele, foi um presente para mim encontrá-lo aqui, me deixou muito emocionada. Obrigada pelo presente maravilhoso. Linda foto, como todas que sempre postas, sensibilidade que me encanta. Tenha um dia muito feliz. Saudade de você. Beijos e flores.

12:47 da tarde  
Anonymous Márcia said...

Um beijo de solstício, amiga querida!

7:32 da tarde  
Blogger risocordetejo said...

Tão sábios, estes poetas antigos, tão modernos!
R

11:00 da tarde  
Blogger agua_quente said...

Tão belo o poema e a voz de Adriano comove até ás lágrimas. Lindo!
Beijos

4:48 da tarde  
Blogger Amélia said...

E eu com saudades dos posts diários...:(

10:33 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

em silêncio, ouço Adriano

de viva voz, subscrevo comentário anterior

forte abraço. JP-


*

2:34 da tarde  
Blogger ângela said...

voltei:)
mas esta partida enche-me a alma.
bj

11:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home