em dia de Camões


em 10 de junho



Se destruíste a tua vida aqui, nesta pequena esquina,

destruíste-a no mundo inteiro.


Constantino Cavafis



de amigo querido, recebi :

«Tenho-me envolvido activamente

para que o meu curso não seja encerrado,

leia e assine, se estiver de acordo:

http://www.PetitionOnline.com/classici/petition.html

e passe a conhecidos se puder.»


9 Comments:

Blogger wind said...

Em poucas palavras se diz muito, se num pequeno contratempo se faz uma tempestade, então como se viverá a vida se a mesma é feita deles?:)
Lindíssima foto.
Já assinei a petição.
Beijos*****

1:06 da tarde  
Blogger Cecília said...

Festejar Camões com Kavafis - só uma alma iluminada...
Deixo-te uns vesos de KK

Nestas salas escuras, onde vou passando
dias pesados, para cá e para lá ando
à descoberta das janelas. - Uma janela
quando abrir será uma consolação.

8:07 da tarde  
Anonymous Márcia said...

Esses versos de Kaváfis ( aqui a gente escreve com K rs) são lindos. Quanto à petição, fui lá. ;)
beijos muitos.

12:29 da manhã  
Blogger carlos peres feio said...

como para os santos, haverá o "dia de todos os poetas"?
o camões já está servido - e os outros?
bj c.

12:46 da manhã  
Blogger herético said...

"uma alma iluminada", escreve a Márcia. subscrevo.

doeu a cerimónia!

2:30 da tarde  
Anonymous A said...

"alma iluminada"! - de cruz, a minha assinatura.

petição - como não assinar?!
lembraste do filme?
O nosso era o tempo dos leões e dos leopardos, este é o tempo das hienas e dos chacais

Lisboa e seus jacarandás - fazem-me falta. Os teus posts também. Belíssima foto, esta.

Recordo-te - e sei o quanto gostas desta versão de Jorge de Sena:

Ítaca

Quando partires de regresso a Ítaca
deves orar por uma viagem longa,
plena de aventuras e de experiências.
Ciclopes, Lestrogónios, e mais monstros,
um Poseidon irado – não os temas,
jamais encontrarás tais coisas no caminho,
se o teu pensar for puro, e se um sentir sublime
teu corpo toca e o espírito te habita.
Ciclopes, Lestrogónios, e outros monstros,
Poseídon em fúria – nunca encontrarás,
se não é na tua alma que os transportes
ou ela os não erguer perante ti.

Deves orar por uma viagem longa.
Que sejam muitas as manhãs de Verão,
quando, com que prazer, com que deleite,
entrares em portos jamais antes vistos!
Em colónias fenícias deverás deter-te
para comprar mercadorias raras:
coral e madrepérola, âmbar e marfim,
e perfumes subtis de toda a espécie:
compra desses perfumes quanto possas
E vai ver as cidades do Egipto,
para aprenderes com os que sabem muito.

Terás sempre Ítaca no teu espírito,
que lá chegar é o teu destino último.
Mas não te apresses nunca na viagem.
É melhor que ela dure muitos anos,
que sejas velho já ao ancorar na ilha,
rico do que foi teu pelo caminho,
e sem esperar que Ítaca te dê riquezas.

Ítaca deu-te essa viagem esplêndida.
Sem Ítaca, não terias partido.
Mas Ítaca não tem mais nada para dar-te.

Por pobre que a descubras, Ítaca não te traiu.
Sábio como és agora, senhor de tanta experiência,
terás compreendido o sentido de Ítaca.

Constantino Cavafy



Regressado - por muito tempo.

Bjos.

6:25 da manhã  
Anonymous A said...

Perdão:

lembras-te

6:26 da manhã  
Anonymous Quico said...

Acho que o Ventor nunca se esqueceu do dia de Camões, a não ser este ano. Ele até ficou doente, mas esqueceu-se por não saber a quantas andava. Bjs.

1:27 da tarde  
Blogger carlos peres feio said...

sobre pedras e flores -
tua belíssima foto faz-me lembrar o tempo das "quintas fora de portas de Lisboa", quando a "bida era baoa! "
bj c.

9:46 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home